1.6.12

Dançar

"Dançamos vezes sem conta com parceiros cujo passo não acertamos, cujas pisadelas são constantes, cuja profundidade musical não combina connosco e cuja dança nos tira a liberdade, aperta e oprime, sem nada nos acrescentar. Só quando aprendemos a confiar em nós, a não ter medo de mostrar verdadeiramente quem somos, aquilo que sentimos e o que mais gostamos de fazer, quando deixamos de querer mudar o outro e percebemos que afinal ele é apenas o veiculo para a nossa própria mudança, podemos deslizar pela imensa sala que é a vida, e, então sem que seja preciso procurar, encontraremos quem - não por necessidade mas sim por querer - aceite dançar uma verdadeira dança a dois"
Maria José Costa Félix

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixa o teu primeiro impulso deslizar pelos os dedos.