27.6.12

Abraço


Que nunca o abraço se possa comprar, pois é ele o melhor que se pode dar.
Que nunca quem abraça seja apenas os braços, que se toquem com os dedos todos os traços.
Que seja quem abraça também abraçado, que seja o abraço o lugar de todo o lado.
Que se brinde ao corpo, à festa e ao sim, e que ninguém se conforme com o assim-assim.
Que se dancem as dores, que se lambam as feridas, e que todas as lágrimas sejam meras recaídas.
E que se erga um castelo de arfares, e que se construa um orgasmo de amares.
E que eu seja o por dentro de abraçar, o bastidor de sonhar- e que eu seja o viver e nunca o restar.
Que seja quem ama o dono dos meus braços, pois é no meio deles que me uno os pedaços.
Que nunca o abraço se possa comprar, pois é ele o melhor que se pode dar. 


Pedro Chagas Freitas

3 comentários:

  1. Sou, sem dúvida, uma mulher de abraços. Transmitem mais que qualquer outro carinho. Podem proteger-nos ou podem fazer de nós o pilar de alguém.

    ResponderEliminar

Deixa o teu primeiro impulso deslizar pelos os dedos.