24.5.12

Sinestesia


As antíteses fazem os homens e os eufemismos esbeltam as mulheres. Tudo na mulher pertence ao homem mas é dela a delicadeza que os aprisiona. Eu sou a metáfora e tu a sinestesia. Eu crio o mundo e tu o concretizas. Tu dás a métrica ao tom lírico do mundo. És tu quem me dizes como amar ao fim da noite. É a ti que o final do verso rima com a tua boca. És tu quem me lê o olhar e me . É a ti a quem me entrego em cada saliva. 

1 comentário:

Deixa o teu primeiro impulso deslizar pelos os dedos.