20.11.11

Enredos


Olhares enredos. Mundos indiscretos. Cumplicidade cruzada. Jogo semântico entre eles. Bar aberto. Alma vendida ao diabo, disfarçado de gente. Coração perdido num líquido que arde na garganta e eleva o subconsciente. Em modo de interessado. Em modo de perdidamente apaixonada. Um lugar vazio no sofa dela. Um desejo veemente em se sentar junto a ela. Levanta-se e cambeleia louca por ele. Ele levanta-se e perde-se na beleza dela. Perdidos em mundos desconhecidos numa empatia interessados em conhecer.


3 comentários:

Deixa o teu primeiro impulso deslizar pelos os dedos.