13.9.11

Remoto


O sentido remoto das coisas não é acordar sempre à mesma hora e ver todas as noites as series favoritas, é continuar a amar o mesmo homem remotamente. Ver que todas as noites é a manta que nos envolve e não são os braços robustos dele a segurar-nos a alma. Ser a almofada a abafar os gritos de medo e não ser o peito dele a fazer sentir-nos seguras mesmo apenas com um filme de terror. É deitar todas as noites e a cama, remotamente, estar fria no outro lado simétrico. 

3 comentários:

  1. O meu amor, isto está a tornar-se muitíssimo acolhedor <3 :)
    Oh meu amor, aquilo são as fotografias dos sítios do Algarve, os mesmos sítios de há uns 3anos atrás :o

    ResponderEliminar

Deixa o teu primeiro impulso deslizar pelos os dedos.