16.9.11

Não é fácil


Não foi fácil e não está a ser fácil. É mais um tormento que colecciono aos pesadelos da noite que se vivem durante o dia. Odeio a perspectiva consciente com que estes pesadelos me abordam, assim do estranho modo como a luz entra pelo estore do quarto. Já cheguei a tapar as com as mãos os raios de sol, mas continuo a sentir-o lá, a aquecer a minha manhã. Porque mais que feche os olhos ao pesadelo do dia, não vai haver um amor tão capaz e tão maior. Não está a ser fácil e para mim será melhor assim, porque gosto do sol da manhã. Faz-me lembrar de ti.

2 comentários:

Deixa o teu primeiro impulso deslizar pelos os dedos.