2.4.11

Tens

Desces a rua troteando a calçada incerta. Estás com última música da rádio que ouviste a rodipiar na cabeça. Tens o sabor do último café que bebeste a adocicar a boca. E tens o último homem que amaste a estalar o teu coração. Todos os pormenores te deixam mórbido e tudo se desdobra em lembranças. Mas rua continua e já vai longe a esquina em que se virou. Tropeça-se mais uma vez na calçada, tropeça-se por outro instante noutra recordação. Isto é inútil, mas a rua continua.

7 comentários:

Deixa o teu primeiro impulso deslizar pelos os dedos.