19.4.11

Sobejo

Os corpos estavam sobrepostos um no outro. A temperatura subiu depois dos beijos ousados. A mão dele subia a cintura saliente dela à procura de carne. A mão dela atravessava o peito robusto dele em busca de nudez. As mãos estavam frias.Os corpos dilatavam-se de calor fogoso, os cabelos arrepiavam-se nos braços. A respiração soava ao ouvido. O prazer estremecia em cada movimento dos corpos desnudos. Em cada beijo fugia uma onomatopeia simétrica a cada sobejo. A paixão esquivava-se do peito e dilatava a pupila dos olhos dela.

5 comentários:

  1. wei lá, pornografia praqui :p
    brincando ! :D

    ResponderEliminar
  2. oh, de nada!
    obrigada eu :)
    beijinho*

    ResponderEliminar
  3. só queria deixar um comentário a dizer que adoro o teu blog, escreves maravilhosamente bem!

    já agora, este post é bastante "delicioso" num bom sentido.
    Gostei, obrigada por escreveres :D

    ResponderEliminar
  4. grande texto, parabens!
    consegues, palavra por palavra, fazer-nos reviver os sentimentos que estes momentos nos proporcionam. Momentos que eu própria não consigo descrever, mas que tu apresentas quase como uma melodia.

    ResponderEliminar

Deixa o teu primeiro impulso deslizar pelos os dedos.