20.4.11

Olhar

Em clima de dualidades ando a fintar-te com o olhar. Mas a bebida consome-te a consciência e o fumo consome-te os olhos. Perdes-te no paraíso falso que a moca te vai levando. Olho te outra vez. Estás fraco e já não és tu nesse corpo. Agora és uma figura robotica que responde às ordens dos vícios que te vão sugando por dentro. Volto a olhar-te. Os teus olhos de lince afundaram-se e eu só queria que percebesses os meus. Era só um beijo que te incitava. 

15 comentários:

  1. simplesmente fiquei apaixonada pelo teu blog , é tão fofo *e* , sigo com imenso gosto , acompanhas ?

    ResponderEliminar
  2. lembrei de uma musica chamada: teus olhos.

    teus olhos devem ter, problemas pra me ver, eu acho…
    Tanto que não me vêem…

    http://www.youtube.com/watch?v=wX5qgcdG1yg

    ResponderEliminar
  3. Gostei do Blog!

    Se quiseres visita ou segue:
    danielafilipa-ferreira.blogspot.com

    :D

    ResponderEliminar

Deixa o teu primeiro impulso deslizar pelos os dedos.