6.2.11

Jogo


-Eu não tenho medo dela, só não estou disposta a fazer isso apenas para podermos dizer que o fizemos. E não o vou fazer se a primeira coisa que dizes a seguir é "não contes a ninguém". Se te vês obrigado a manter segredo em relação a qualquer coisa, nem a deves fazer.
-Mas nas primeiras vezes não te importavas.
-Sim, aceitei as tuas regras joguei o teu jogo mas isto agora não é o mesmo.
-Como assim?
-Eu já não ando a jogar, inconscientemente entrei em guerra comigo mesma.
-Porquê?
-É fingir para mim mesma que isto são comportamentos do quotidiano e não uma clara contravenção das regras.
-De que estás a falar?
-Estar contigo já não é apenas estar, é amar. É game over.
-Deixa de tretas, tens sempre a mania de complicar. Esquece isso, esquece ela e fá-lo comigo.
-Esquecer é o que faço em cada gesto que te beijo, mas mesmo assim continuas a amar a ela. E não vale a pena louvar breves enganos.

8 comentários:

  1. este texto acenta-me que nem uma luva..

    ResponderEliminar
  2. adorei :o
    eles querem sempre tudo.

    ResponderEliminar
  3. a ultima fala deste texto :x

    ResponderEliminar
  4. Gostei tanto tanto tanto!! A última deixa então é fantástica! :O

    ResponderEliminar
  5. Também gosto muito, é prefeita!

    ResponderEliminar
  6. great. visit and follow me if you like.
    www.newyorkfashion-sh.blogspot.com

    ResponderEliminar

Deixa o teu primeiro impulso deslizar pelos os dedos.