30.12.10

Eles e elas

Eles:
não gostam de conversas sérias, só falam meia verdade quando estão a meio álcool, preferem uma cerveja, amigos e um jogo de futebol do que um filme a dois, dizem um "amo-te" como uma jogada 4x4 com o objectivo de fecundar a baliza genital feminina, pensam que o amor é o ticket para levar a mulher para a cama, vivem para a diversão com sexo na assistência, são todos iguais apenas diferem na pronúncia.
Elas:
não conseguiam viver sem eles.

29.12.10

listas e sedução.




-O que mais gostas no amor?
-A sedução.
-De que tipo?
-Das de mulheres difíceis.
-Bem, até agora só te vi com mulheres fáceis.
-Já me cansei de putas. E além do mais com elas não era amor, era sexo.
-Do que menos gostas no amor?
-Nunca conseguir seduzir as mulheres difíceis.
-Onde erras nesse jogo de sedução?
-Estou a descobrir contigo.
-Não o faças.
-Porque não?
-É perda de tempo genuína.
-Isto não é perder tempo, é amar alguém.
-Desiste, não ames em vão.
-Sabes uma coisa? És das difíceis.
-Nunca gostei de fazer parte da lista daquelas que levavas para a cama.
-Fizeste-me assim criar uma nova.
-Idiota. Como se chama?
-Lista daquelas que até hoje realmente amei: uma- tu!

28.12.10

The corner

"I remember the corner.
The corner of your colour, the corner of your smile. 
The corner where we kissed.
The street corners turning into the corners of the corridor.
Into the corners of the room where we lay.
The corners of your mouth, of your eyes.
The corner of words we didn't finish.
The corner of your name. 
On the corner where we parted.
I remember the corner."

17.12.10

Frásicas

"Eu não sou boa nem quero sê-lo, contento-me em desprezar quase todos, odiar alguns, estimar raros e amar um".
"Ando a tentar perceber como é que se perdoa aquilo que nunca conseguiremos ter e como é que somos aquela mulher que jamais saberemos ser"

16.12.10

Rolling in the Deep

Adele- Rolling in the Deep

The scars of your love remind me of us
They keep me thinking that we almost had it all
The scars of your love they leave me breathless
I can't help feeling

We could have had it all
Rolling in the deep
You had my heart and soul
And you played it
To the beat

É por cada letra, palavra ou balada desta música que o meu coração embala-se pela revolta. Não gosto da ideia que alguma coisa se escapou pelas rédeas do passado. Está perdida alguma coisa, onde aqui não é o seu lugar. Nunca tive muito jeito para lidar com quebra-cabeças-corações, e para este é preciso elevado QI. Prefiro ficar com a inocência.

11.12.10

fora do prazo de validade

-Estou nervoso, enjoado, esquisito, com o vácuo no estômago.
-Borboletas?
-Qualquer coisa assim do género.
-Já mataste alguma?
-Han?
-Se já mataste alguma borboleta?
-Não, porquê?
-Há uma primeira vez para tudo.
-Não é fácil desgostar de ti.
-Não é fácil aceitar que esta conversa já não esteja dentro prazo de validade. 
-Não tens saudades minhas?
-Tuas inclui as noites passadas em branco, a tua ausência e todo o amor em vão?
-Falava de bons momentos, os nossos.
-Nem disso, já não.

5.12.10

Vil

Fintar as leis da gravidade é a essência da minha ironia. Foram risos maléficos espontâneos que fluíram enquanto a revolta ardia em ódio e te ditava todas as verdades à cara. Naquele momento, se te tivesse a engolir sapos pela guela a baixo juro que me auto-titulava de Cruela de ViL. Acredita, deu-me bastante gozo! 

2.12.10

Winter

Inverno está na caneca quente envolvida nas mãos, na música que soa pelo fumo do líquido quente. Inverno vive-se na descontracção de apenas não fazer nada, vaguear em pensamentos longínquos. Inverno é ficar aqui a inspirar silêncio na tua companhia. Inverno é fugir  e refugiar-me em ti resgatando as minhas mãos ao frio e esconde-las no teu corpo. Inverno é gostar de ti com temperaturas negativas e com o verão no coração.

1.12.10

Os Ex voltam sempre

Ontem roubaste à minha cara os traços de espanto. Contaste e encantaste-me com mentiras pressupostas. Fintas-te o meu coração como bem querias e te apetecia. Fui alimentando a tua farsa, essa tua canção para os meus ouvidos. Falaste, diabolaste mais coisa menos coisa. Percebi que não aprecio coincidências, que desgosto de esquemas e odeio teres voltado. Recomendo com toda a sinceridade para pegares na velha ganza e fumares umas tantas e não voltares a baralhar-me o sistema. És ex e não te vou tirar o prefixo por muitas tretas que desabafes. 
Sinto a trair-me a mim própria só por pensar nesta merda. E a conclusão que tiro desta manha é que a maioria dos cabrões voltam sempre, nos momentos mais inoportunos e nunca mas nunca quando queremos. Nesta altura, um conselho, atravessem-lhe com a porta na cara.