28.10.10

you, love

Reparei que já não choro por amor. Deve ser egoísmo da minha parte não doar ao vento lágrimas em vão, fanatismo pela estabilidade e ironia por estas palavras. Não sei bem, mas não interessa nem ao diabo.
Já não choro por amor. Porquê? Já não dói. Como? Cá por dentro. Acredito que isto sob as costelas deve estar como um campo de batalha no final de uma guerra, definitivamente feio. 
Apesar do que atrás fico dito, não há motivo para grandes preocupações, tudo são metáforas e isto é o meu sentido apurado para o exagero. Moro aqui sozinha e de tudo o que me ocorre é tu, tu, tu e eu. E claro, se tiveres com fé, aparece no meu campo de batalha com os primeiros socorros. E tudo o que acabei de referir mudará de táctica. 

7 comentários:

  1. "Acredito que isto sob as costelas deve estar como um campo de batalha no final de uma guerra, definitivamente feio. " tenho um campo de batalha então <3

    ResponderEliminar
  2. já não vinha ao teu blog há bóe, :O
    gosto do teu texto.

    ResponderEliminar
  3. gostas-te do texto? :x
    tipo não curto muito do meu.

    ResponderEliminar
  4. Obrigada :)
    Excelente!
    "(...)aparece no meu campo de batalha com os primeiros socorros."- simplesmente divinal. Chega a uma determinada altura em que nos tornamos imunes a quase todo o tipo de dor que o amor provoca.

    ResponderEliminar

Deixa o teu primeiro impulso deslizar pelos os dedos.