19.10.10

Sismo




O coração galopava embatendo contra o peito, a cada centímetro que ele se aproximava. O batimento que se multiplicava já me destruía as costelas. Tinha imaginado aqueles instantes vezes sem conta, de mil maneiras diferentes. Mas, ele vinha ainda longe, e já estava a tremer por ele. Devia de ter uma estrutura anti-sísmica para disfarçar esta compulsão. Tenho um sismo com o epicentro no coração que treme todos os meus membros inevitavelmente. Sismo amoroso, raios partam!

12 comentários:

  1. esses sismos irritam por vezes *

    ResponderEliminar
  2. quem me dera ter sismos assim todos os dias, sem dúvida

    ResponderEliminar
  3. ahah , que texto engraçado , gostei imenso do fim :')

    ResponderEliminar
  4. ahh, que fofinha! é estranho sentir isso, mas é tão bom não é? $:

    ResponderEliminar
  5. gostei mesmo do texto, mas o fim tem um sabor especial :)
    um beijinho*

    ResponderEliminar
  6. é dos melhores excertos marie *

    ResponderEliminar
  7. adorei! e sim, esses sismos por vezes irritam. :)

    ResponderEliminar
  8. "sismo com epicentro no coração", muito bom !

    ResponderEliminar
  9. se ele não tivesse transformado estas conversas em silêncio era bem bom o inverno :s

    ResponderEliminar
  10. "Sismo amoroso, raios partam!"fantástico desenlace

    ResponderEliminar

Deixa o teu primeiro impulso deslizar pelos os dedos.