20.9.10

Come

A colecção de dias sem te ver somam-se destemidamente.  
Pelas saudades já não há ponta em que se pegue, são tantas. 
Perdi a cor. A contar pelos dedos já é demais, sem dúvida.
Aparece à minha frente sem aviso. Cora o meu rosto de espanto.
 Cala-me com um beijo inesperado mas ansiado desde há muito. 
Tu sabes onde estou, vem.

18.9.10

Teoria part 3

Os homens não sabem, não conhecem as coordenadas do corpo feminino.
O engate deles é desorientado. Olham para as mamas em vez de olharem para os nossos olhos. Medem e imaginam-as, e quanto maior melhor. (Mas afinal para que querem eles umas mamas grandes se depois não lhes cabe na mão?) Tocam na coxa em vez de tocarem na nossa cara. Apertam o rabo em vez de apertarem a nossa mão. Porém bússola não será a solução. Teoria?

8.9.10

estranhas, manhas

Um dia vou saber onde foste desencantar esse teu jeito 
de me encheres o coração e prendes-lo a ti.
 
Descobrir de que é feito esse teu encanto, esse aconchego que me dás. 
Um dia personifico o Sherlock Holmes e viro as estranhas e manhas do amor.

7.9.10

Teoria part two

“Amo-te” sensivelmente a palavra ou frase mais batida, gasta e lotada em todas as línguas, versões, sotaques e pronúncias do planeta. Facto um, é com ela que o homem garante viagem para a cama como sexo oposto e com a percentagem no seu máximo. Facto dois, é o modo de ganhar o perdão da vítima. Facto três, se houvesse uma estatística que contasse o número de vezes que um homem na sua triste vida diz tal frase, o queixo cair-nos-ia por terra. Até lá, só Deus sabe. Teoria?

6.9.10

Teoria part one


Já ouvi chamarem-me de tudo. Ora quase tudo. Comecemos por Amor, querida, bebé, linda, princesa, paixão, como também os referidos anteriormente em versão inglesa, francesa ou outra. Agradavelmente é sempre bom um sujeito deliciar-nos o coração com estes modos. Inconfundivelmente os homens tratam-nos da mesma forma como às outras: à ex, à ex-ex, àquela com quem curtiu, à outra que estava só de visita mas come-a na mesma (e continua a irreversível lista). Sempre me espantou, ou não, a falta de imaginação masculina para despertar reacções perversas numa mulher ou apenas para aconchegar o seu coração. Drasticamente eles só não a usam para depois não trocarem os nomes das inocentes. De certa forma é melhor levar com um princesa gosto muito de ti do que X minha princesa gosto muito de ti, enquanto o nome da vítima é Y. Lá no fundo é louvável a atitude deles. Teoria?

4.9.10

Hey ex !

O teu hobbie mais que preferido deve ser esfregar na minha cara que estás com outra. É fudido. Ela até é mais bonita, jeitosa e tudo mais. Ora não te incomodes mais meu querido. Pois para ti só tenho para te dar, generosamente, o irónico do meu dedo do meio pintadinho de encarnado. Bizarro é que também estou com outro, mais bonito que tu. Fudido han? Wharever!

3.9.10


Com uma enorme vontade de afogar e estrangular este reboliço interior, com muito álcool e tabaco. Superar o teu ego e as tuas superstições. Por fim, aproveitar desalmadamente bem os últimos dias de férias com amigos. Vejo, que isto não passa apenas de vontade. Fuck, suck, shit.

Acho que a melhor coisa que posso fazer agora é gritar comigo mesma para ver se me assusto. Despertar para a gravidade da situação. Mentalizar-me que tu  não me afectas. Por fora daqui este salteado de qualquer coisa tipo raiva e ódio e algo mais. Já nem sei, nunca soube nem quero vir a saber. E tal como tu vou optar pela ignorância e o desprezo para comigo mesma. Por um fim definitivo às brincadeiras entre ti e a minha consciência. 

1.9.10

I'll steal you a kiss

Deixa-me lá descobrir que por detrás desta soma de dias intermináveis, em que os meus olhos não vêem os teus, há uma subtracção de outros dias até àquele que suicido contigo as saudades. Contas paralelas, mundos paralelos, sentimentos gémeos ou mútuos, desejos iguais. Estou com ódio ao calendário que não passa os dias com eficácia. E mal o menos, verdade é que já faltou mais para te roubar um beijo, e fia-te nisso love.