6.6.10

Também esta carta tem uma despedida

Por muito que se rasure, escrevinhe, trace, e escreva numa carta haverá sempre algo que ficará “para sempre” para dizer.
Contigo e para ti as minhas palavras chegaram ao fim, já não há nada para dizer porque escolheste assim, escolhi eu assim, destinou-se a nós assim.
Como todas as cartas também esta têm um fim.
Um ano e três meses, tudo se guarda nesta definição de tempo, por sinal muito tempo até.
Uma carta que escrevi eternamente, mas que o eterno não existe, sobre um amor incondicional que se pôs a muitas condições, para alguém que sabia que lhe escrevia mas que não lia, mas que agora acabo com a minha despedida.
Foram todas as letras escritas com amor,
Marie

3 comentários:

  1. gostei, adorei, amei o que escreveste neste post. mas fico triste pela despedida. ao menos que seja um recomeço para ti, e que sejas feliz, muito :)
    adorei ler o que aqui escreveste a partir do momento em que comecei a ler o blog. acho que devias criar um novo, se nao queres continuar esta carta. um beijinho. força*

    ResponderEliminar
  2. GOSTEI tanto minha Marie *.*
    As palavras desgastam-se a força acaba <3

    ResponderEliminar
  3. Gosto imenso deste post. Está forte e sentido (: Parabéns, escreves imensamente bem*

    ResponderEliminar

Deixa o teu primeiro impulso deslizar pelos os dedos.